Un día como hoy: Boca Juniors eliminava o Palmeiras no Allianz Parque

A Libertadores de 2018 ficou marcada pela final del mundo entre Boca Juniors e River Plate que terminou em Madrid. Antes dos três eventos entre os argentinos: os dois jogos e o que não aconteceu no Monumental de Núñez, o time da Bombonera veio até o Brasil e saiu classificado diante do Palmeiras Allianz Parque lotado na semifinal. A ironia do destino é que o time paulista teve a oportunidade de eliminar o argentino na fase de grupos da Copa.

A série un día como hoy rememora grandes feitos, títulos, jogos, embates, alegrias e tristezas do futebol sul-americano. Hoje, mais um dessas anedotas lembra dos dois anos da eliminação do Palmeiras para o Boca Juniors na Libertadores de 2018. Confira a última matéria da série:

Quase eliminação do Boca na fase de grupos

A fase de grupos do hexacampeão da Libertadores, Boca Juniors, foi sofrida e a segunda vaga do grupo foi decidida somente na última rodada. O Palmeiras sobrou na competição e fez a melhor campanha, saindo invicto e com 16 pontos. O grupo era o H formado, além de paulistas e argentinos, pelo Junior Barranquilla, da Colômbia, e pelo Alianza Lima, do Peru. O único tropeço do Palmeiras foi para o Boca Juniors no Allianz Parque por 1 a 1.

O gigante argentino começou a campanha empatando com o Alianza Lima fora de casa (esse foi o único ponto conquistado pelos peruanos). Depois venceu o Junior na Bombonera por 1 a 0 e fechou o turno com o empate contra os brasileiros. A volta foi com derrota por 2 a 0 na Bombonera para o time de Felipão. Na rodada seguinte, empate fora com os colombianos.

Assim, para passar, o time de Guilhermo Barros Schelotto tinha de vencer o Alianza Lima em casa e o Palmeiras vencer o Junior no Allianz Parque. Na noite de 16 de maio, o Palmeiras interessado na primeira colocação geral fez 3 a 1 com três gols de Miguel Borja. Já o Boca goleou o Alianza Lima por 5 a 0 com gols de Edwin Cardona, Frank Fabra, Ramón Ábila (2) e Carlitos Tévez. O gigante seguia na Copa.

O 5 a 0 em casa fez o gigante ressurgir na Libertadores (Marcelo Endelli/Getty Images)

O preço pago no mata-mata

O Palmeiras ficou com a melhor campanha e não eliminou o Boca Juniors. A partir das oitavas, muitos dizem que começa outra Libertadores e realmente começou. A equipe de Felipão pegou o Cerro Porteño, do Paraguai, nas oitavas, venceu a ida por 2 a 0 com gols de Borja e perdeu a volta por 1 a 0 com gol de Santiago Arzamendia. Nas quartas de final, passou fácil pelo Colo-Colo, do Chile, com duas vitórias por 2 a 0. Dudu fez dois gols, Bruno Henrique e Borja completaram o agregado.

O Boca Juniors renasceu no mata-mata e fez valer sua camisa. A fase oitavas de final foi contra o Libertad, do Paraguai. O jogo de ida na Argentina foi 2 a 0 com gols de Wanchope Ábila e Mauro Zárate e a volta foi com goleada por 4 a 2 no Defensores del Chaco, em Assunção. Cardozo fez os gols dos locais e Cristian Pavón, Zárate, Tévez e Cardona fizeram os tentos visitantes. Nas quartas, o rival era o Cruzeiro, que decidiria no Mineirão. O jogo de ida teve a polêmica expulsão do zagueiro Dedé e terminou 2 a 0 com Zárate e Pablo Pérez fazendo os gols. A volta foi 1 a 1 com gol de Sassá e de Pavón.

O sorteio do caminho do mata-mata deixava a possibilidade de termos a semifinal entre os rivais de grupo Boca e Palmeiras e o destino colocou os dois juntos na cancha novamente. A ida era na Argentina e a volta no Brasil por conta da melhor campanha do Palmeiras. O jogo com a Bombonera lotada no dia 24 de outubro se desenhava para um 0 a 0 até que Dário Benedetto entrou no segundo. O camisa 18 fez um gol de cabeça aos 38 e um com um chute de fora após drible no zagueiro aos 43.

O camisa 18 desequilibrou na ida quando o jogo parecia que terminaria empatado (ALEJANDRO PAGNI/AFP via Getty Images)

A volta no Allianz Parque, em São Paulo, foi há dois anos e o Palmeiras precisava de no mínimo dois gols para empatar a série. Até abriu o placar com Bruno Henrique aos 9 minutos, mas o gol foi anulado por impedimento na origem. Sete minutos depois, Ábila fez o 1 a 0 para os visitantes. Palmeiras precisava de quatro gols. No segundo tempo, o milagre pareceu que viria quando Luan empatou aos 7 e Gustavo Gómez virou aos 15 de pênalti. Porém, o camisa 18 Benedetto entrou e decidiu de novo. Em um arremate parecido com o que aconteceu na ida, aos 25 minutos, ele fechou o caixão palmeirense. O 2 a 2 permaneceu no placar e o Palmeiras estava eliminado para o time que havia salvado na fase de grupos.

Ábila fez o 1 a 0 e deu lugar a Benedetto que sacramentou o resultado no Allianz Parque (Alexandre Schneider/Getty Images)

Foto de capa: Alexandre Schneider/Getty Images

Resta1

Gabriel Neri

Amante de uma boa retranca uruguaia enquanto escuto uma MPB tomando uma cerveja argentina. Torcedor do Cruzeiro. Hincha de Independiente.